quarta-feira, fevereiro 22, 2006

Che!


É isso mesmo que você está vendo: uma imagem de Che Guevara junto a um anúncio de disk parabrisas. Não é montagem, não é um stencil grafite aplicado sobre o texto. O dono do serviço, ou o brilhante publicitário que trabalha para ele, teve a idéia de juntar um e outro e sair fazendo outdoors por Brasília (naquela pista da rodoferroviária / Cruzeiro tem um) e vasos de planta espalhados pelo Parque da Cidade. Foi lá, aliás, que tirei essa foto.

Essa propaganda vale ou não vale por uma aula gratuita de pós-modernismo? Pelo menos vale para me fazer lembrar das aulas de estética e cultura de massa lá da faculdade. Será que eu consigo me recordar de tudo só para escrever esse post?

Senão vejamos: essa imagem de Che é algo clássico. Foi tirada, se não me falha a memória (li um texto em que o fotógrafo Alberto Korda explicava como essa foto foi feita), durante um discurso em Cuba, agora não vou me lembrar quando. O revolucionário rapaz estava assim, olhando para o nada, o lambe-lambe foi lá e fez. O olhar distante do jovem socialista ficou, assim, eternizado em um clique, representando todos os sonhos e supostas antevisões de uma geração. O ano era 1960 e a foto não foi publicada até a morte de Che, tempos depois.

Mas, desde então, os ideais socialistas e todos os outros morreram. É o fim da reverência a quase todos os símbolos (humanos ou não, sagrados ou não). Nesse meio tempo, também aconteceu de os meios de reprodução em massa se aprimoraram incrivelmente. A carinha de Che serviu, então, para vender cerveja, vodka, relógios e roupas para uma geração pouco dotada de qualquer tipo de ideologia. Pós-modernismo tem dessas coisas. O indivíduo deixa de ser objeto de adoração e passa a ser um carimbo, ou algo assim.

E agora Che serve também para vender pára-brisas.
Pode ser que simplesmente o dono seja um fã de Che Guevara e creia que la revolución não foi em vão. Mas eu gosto de pensar que uma simples propaganda possa ter tantos significados por trás.

3 comentários:

Felipe Campbell disse...

Por mais que se force, não consigo ver conexão nenhuma entre as duas coisas. Inacreditável a capacidade imaginativa das pessoas!!!

Beijos

Felicia disse...

Hola, sou eu, sua colega de sapatos vermelhos... Engraçado vc ter colocado no seu blog uma propaganda que me chamou a atenção há uns dias atrás voltando da chácara. Mas acho que as suas divagações sobre a composição pós-moderna estão longe de abranger a verdadeira mensagem do creador hehe Beijo.

Anônimo disse...

Estes anúncios com a face de Che espalhados aqui pelo DF sempre me chamaram atenção, me recordo de ver eles por ai desde a década de 90. Além de outdoors, também haviam anúncios em jornais e adesivos para carros. O nome da empresa é "SOLUÇÃO PARABRISAS". É quase que óbivio a mensagem que o dono da empresa queria passar, ao por a imagem de Che Guevara ao lado da palavra em letras caixa alta SOLUÇÃO !
Atualmente esta empresa não utiliza mais a imagem de Che, será que o dono se desiludiu com a filosofia comunista ? Seria muito interessante se um dia alguém o procurasse para saber a verdade.