terça-feira, setembro 21, 2010

Contos do siso - Panorâmica

Primeiro, livre-se de tudo em você que contenha metais: presilhas de cabelo, brincos, piercings, correntinhas e anéis. Deixe de lado também aquele elástico de cabelo com aquela pecinha safada de metal. Tudo isso atrapalha.

Ponha-se de frente para o aparelho de raios-x, na distância exata entre você e ele. Segure as duas mãos nas barras. Um passinho para a frente, por favor. Não, não é necessário pular ou ficar na ponta dos pés para alcançar o apoio de queixo. Ele vem até você.

Próximo passo: morda o palitinho. Assim não, pô. Um pouco mais para a direita. Está vendo essa linha de luz vermelha? Ela tem que passar bem no meio do seu nariz. Isso.

Agora, coloque a ponta da língua no céu da boca e respire normalmente (?!). A partir deste momento, é proibido mexer, engolir saliva e -- principalmente -- passar mal de rir do patético que é se ver de cabelo bagunçado, nariz listrado e palitinho na boca em frente ao espelho da máquina.

Se você sobreviveu a essa maluquice, parabéns. Em pouco tempo, terá uma linda radiografia panorâmica em mãos. Pode ir para casa e escrever o seu post. Está liberada.

3 comentários:

homi disse...

Muito boa!

Laninha disse...

Ah q isso acontece mesmo rsrs...

Nira disse...

Até hoje me lembro com emoção da minha primeira panorâmica, kkkkk. foi aos ezoito anos. De lá pra cá foram mais cinco... e quase quinze anos pra me darem a porre do diagnóstico.