sexta-feira, julho 23, 2010

Momento de Decisão

Houve um dia nessa semana em que jurei pra mim mesma que só veria cinco minutinhos de televisão, porque estava com um sono abissal e precisava dormir cedo.

Mas todo mundo sabe que essas promessas de cinco minutinhos são as mais fajutas, né? É, eu também sei.

Comecei a ver um filme na tevê e ele era tão bom que só fui dormir duas horas depois.
A razão da minha insônia forçada se chama Momento de Decisão, ou The Turning Point, de 1977, vulgo tempo da mamãe mocinha.



Vamos desconsiderar a cafonalha que é esse trailer, pois naquele tempo eles eram simplesmente diferentes. Importante mesmo é a história, que lida com uma pedreira de sentimentos.

Em síntese, é a história de duas mulheres (interpretadas por Shirley MacLaine e Anne Bancroft) que, na maturidade, reavaliam os caminhos que tomaram na vida.

A primeira delas larga a carreira de bailarina quando engravida. E, anos depois, passa a ver a filha adolescente tornar-se o que a mãe nunca conseguiu ser. A outra consagrou-se profissionalmente, mas às custas da vida pessoal.

Simplesmente não há nada mais que elas possam fazer na vida. Nenhuma correção de rota é possível nas trajetórias das duas. E daí surge a tal paulada emocional. Vou falar de arrependimento e inveja só para ficar em sentimentos bem básicos.

O resto se desdobra ao longo do roteiro e por meio da atuação da dupla, que é incrível e deixa o coração apertado mesmo.


Não bastasse ter uma história complexa, Momento de Decisão tem cenas lindas de aula de balé, espetáculo de balé, ensaio de balé e o que mais você quiser ver relacionado à dança.

E tem o Mikhail Baryshnikov (tive de dar ctrl+c ctrl+v no nome dele) quase adolescente dando uns pulos incríveis! Recomendo demais.

Confesso que não entendi bem a indicação que ele recebeu ao Oscar de ator coadjuvante, porque o bailarino basicamente atua como ele mesmo e quase não fala. Mas... cada um com seus critérios. Não foi a primeira nem a última vez que a Academia fez umas manobras estranhas.

Não sei se o filme vai ser reprisado (deve ser), mas há de ser fácil encontrá-lo em DVD.
Basta procurar na prateleira de preciosidades antiguinhas.

4 comentários:

Nira disse...

Bem, so de ter o Baryshnikov no filme, já vale a pena ser visto. Ainda junta com essas duas monstras do cinema, com certeza não dá pra deixar de assistir. Valeu a dica!

MARIO TOSSI disse...

Adorei o seu blog e tambem tenho varios, parabéns

Sou artista plástico e poeta

http://poesiasdomario.blogspot.com

Fe Velloso disse...

Mari,
Já anotei no meu fake moleskine. Vou alugar e assistir. Falou de ballet, eu quero =)

Bjs

Mari Ceratti disse...

Fake moleskine? Tem isso? :o)
Bjo!
PS.: ninguém no filme faz pas de chat.