segunda-feira, janeiro 18, 2010

Cenas de um fim de semana

* Um casal de garis namora perto de uma parada de ônibus na W3 Sul, em Brasília. Namoram mesmo: dão beijo, abraço, colo, cafuné. Devia ser tanta vontade que não esperaram o fim do expediente, o momento de tirar o uniforme laranja e de se produzir um para o outro. Inusitado e legal ao mesmo tempo.

* Na Natureza Selvagem, Bonequinha de Luxo e Entre os Muros da Escola são três filmaços. Se ainda não os viu, passe na locadora imediatamente depois do trabalho (ou da aula) e alugue os três de uma vez!

8 comentários:

Marcelo Saboia disse...

Gari tb é gente...

Mari Ceratti disse...

Cara, foi muito, muito legal de ver. E eles estavam com todo o equipamento ainda (vassoura, aquele carrinho, etc., etc.). Ou seja: era horário de expediente mesmo. Resta saber se no meio ou no final. É o tipo de cena que não sei se veríamos entre dois policiais fardados, por exemplo.

Marcelo Saboia disse...

Brasília do jeito que está ficando... se os policiais começarem a namorar no horário de trabalho a gente não vai mais nem poder sair de casa...

Arthur H. Herdy disse...

"Na natureza selvagem" é de se RASGAR de tão bom. Desde "Um show de vizinha" (não ria, por favor. HAHAHAHA) eu já sabia que o Emile Hirsch ia dar um caldo (em todos os sentidos, diga-se de passagem). Não dá vontade de largar tudo e ir pro Alasca? Nem a xaropinha do Crepúsculo estraga a fita.

Já "Bonequinha de luxo" eu vi meio sem paciência e não achei lá essas coisas. Preciso rever. Ou melhor, preciso rever E ler o livro. Estou viciado nesse caminho contrário, Filme/Livro. É a melhor maneira de não me decepcionar mais.

Beijocas!

Arthur H. Herdy disse...

Ah, sim. Com relação ao casal na parada de ônibus: CHUPA ESSA MANGA, BÓRIS CASOY. Gari também é gente!

Mari Ceratti disse...

Menino... eu não quis ir para o Alasca pq não gosto desse esquema mato/barraca/trilha/mosquito (ou urso, pick your favorite). Mas eu chorei à beça no fim porque peguei um carinho danado por esse personagem e pelos outros também. A história é muito bonita e eu achei legal ver a Kristen Stewart fazendo um filme de verdade -- e não aquela porcaria de Crepúsculo.

E quanto ao Boris Casoy... diz a Piauí que, na época em que chefiava redação, ele curtia contar piadas racistas com o homem que hoje assessor de imprensa do MALUF!!!! Isso explica tudo.

Silvia disse...

Demonstrações de afeto são sempre bem vindas, mesmo que seja no meio da rua e em horário de trabalho. A vida passa tão rapidamente que é um pecado privar-se de amar e demonstrar isso. Sorte a deles que tem um ao outro, não é?

Mari Ceratti disse...

Põe sorte nisso, Sílvia...