sexta-feira, março 18, 2005

Forçation de barre

Pois então, aproveitei a hora do almoço para dar uma blogueada. Fui só clicando (no alto da página) em Next Blog até que encontrei o seguinte texto em um blog de turismo perdido no limbo... Tipo assim, os caras escrevem um texto sobre o lugar e dão um link para uma página com descontos em passagens aéreas e pacotes:

"Le Brésil est un continent qu'il est difficile de réduire à un simple paragraphe. C'est Rio et ses Cariocas qui paraissent plus concernés par la samba et la plage de Copacabana que par le travail forcené, c'est au contraire Sao Paulo, mégalopole industrielle fourmillant d'activité, bientôt peut être la plus grande ville du monde, c'est l'Amazonie et ses indiens, c'est l'un des pays les plus riches du monde et les favellas, c'est le foot, la samba..."

Ou:

"O Brasil é um continente difícil de resumir em um parágrafo. É o Rio de Janeiro e seus cariocas, que parecem mais preocupados com o samba e a praia de Copacabana do que em trabalhar freneticamente. São Paulo é o contrário, uma megalópole industrial cheia de ativdades, talvez seja até a maior cidade do mundo. É a Amazônia e seus índios, é um pais dos mais ricos do mundo, são favelas, é o futebol, é o samba..."

Cruzes!!!! Eles falam que não podem reduzir o Brasil a um parágrafo? Pois reduziram, e reduziram mal.
O pior é que esqueci o nome do blog, senão colocava aqui pra todo mundo ver!!! Droga...

(O bom da história foi que descobri um ótimo dicionário francês - inglês na página da TV5, www.tv5.org... aliás, foi mal algum erro de tradução, hehehe)

2 comentários:

Felipe Campbell disse...

Cara, não tem nada pior do que esterotipar um país assim. Mas acho que a gente tem um zelo exagerado pela nossa imagem. Se precisar descrever um país africano (daqueles lá do meio da África) em mais de um parágrafo, duvido que eu ou você não iremos escrever um monte de bobagem. Tudo é relativo, né?

Beijocas

Mari Ceratti disse...

É... peça-me para descrever Gana, Chade, Djibouti e outros, que é capaz de eu emudecer de vez.
Falou pouco, mas falou bonito, rapaz :)
Beijos